Bem-Vindos ao Novo Site do Visite Urucânia!

Museu Padre Antônio Ribeiro Pinto

O Museu de Padre Antônio está localizado à Rua Padre Antônio, 17 no Centro de Urucânia, ao lado da Casa dos Milagres, há 1 Km da Igreja Matriz.

O local é de fácil acesso, sem obstáculos, com pavimentação de paralelepípedo.

Existe uma rampa na entrada (passeio) e no fundo do mesmo. O local permite acesso fácil para portadores de necessidades especiais em seu interior.

Museu Padre Antônio Ribeiro Pinto

A visitação pode ser feita de Quarta a Domingo, no horário de 08:00hs as 16:30hs.

A entrada é gratuita. Grupos de visitantes devem respeitar o limite máximo de 40 pessoas por visitação.

Em Novembro é registrado o maior fluxo de visitantes ao Museu, época da Festa de Nossa Senhora das Graças e Fevereiro é o mês de menor fluxo.

Atualmente o Museu é freqüentado por moradores e romeiros que por aqui passam (cerca de 40.000 por ano), e guarda objetos e móveis usados por Padre Antônio além de cartas de todos os lugares do Brasil e de outros países.

Padre Antônio recebia muitas doações, sendo todas registradas em livros e cadernos que podem ser encontrados no Museu.

Entrada do Museu Padre Antônio Ribeiro Pinto

Histórico

A história de Urucânia se confunde com as manifestações religiosas na região, que tem origem na devoção a Nossa Senhora das Graças e que se intensifica com a chegada de Pe. Antônio Ribeiro Pinto, transferido de Santo Antônio do Grama em 1947.

Esse momento é carregado de significação na vida de Urucânia, que transforma rapidamente em um lugar de grande afluxo de romeiros em busca da bênção do Padre e das graças de Nossa Senhora, sua santa de devoção.

Uma das características marcantes na vida de Pe. Antônio era a preocupação, em atender sempre as necessidades espirituais e também cotidianas como a fome e a miséria que se encontrava a população naquele momento.

Sala do Museu Padre Antônio Ribeiro Pinto

Em 22 de Julho de 1963, morre em Ponte Nova, Pe Antônio aos 84 anos, alterando definitivamente a trajetória de Urucânia, que passou a ser lembrada como última morada do sacerdote.

Em nove de Abril de 1968, a residência onde viveu, foi transformada em museu pelo prefeito Manoel Mayrink Neto.

A multitude de objetos do cotidiano do pároco que compõem o acervo do museu, onde toda e qualquer peça, é priori, considerada de valor, pode ser compreendida como exemplo de religiosidade e devoção, conhecido em todo território nacional e, também, no exterior.

Portanto,toda essa religiosidade, fez do Museu um bem de valor inestimável para a história do município, fazendo com que seus limites se ampliassem além do próprio edifício.

Continue seu passeio virtual lendo sobre a Casa dos Milagres
Click to listen highlighted text!